2009-04-17

Voejante toque


Sinto o
voar do unisso.
Me perco em
coloridas folhas.


A verdade estampada para guardar, sempre do nós. Os peixes que se beijam em ondas e os rios suavemente escorregando no mar. Ao eu, o nós assumir glória íntima. Grãos de areia juntos que não há intervalo, espaço para o asséptico de a coisa. Instante do sempre, imagem que vale e fala mais que mil palavras. Detalhe do tecer particular que lava a face e derrete a neve do tempo ao pincelar à tela. Recostar de ombro desejável, a passos levemente distribuídos ao secreto debruçar, que inspira paz ao toque de toda imensidão. Respirar fundo, profundo e distante, ao esconder do sol de tarde e nas cerdas mais suaves ao caminho do silêncio. Grandioso e tremendo simples tocante, que emana o consumir oferecido. O porte dedal do pequenez, e por se render na cruz tornaste tão grande quanto a barriga de uma baleia. Palavras pacificadoras em certezas descritivas no haja que flui luz do amo-te. Resposta original em cada perspectiva do pensar. Emoções diferenciadas e metamorfais, fortes e coloridas. Complemento que levanta a bandeira da conquista, cada esboçar de sorriso. Turbilhão no íntimo, ao nós da bondade intraduzível. Cruza vidas e fixa palavras na matemática da autonomia em páginas que vaza dois em um, ao certeiro brilhar de atuação. Melodia entrante nas manhãs e ao balançar toque nas árvores; mistura pingos de chuva numa sensação que apetece mãos atreladas. Mar de palavras com perfume gardenal por entre os dedos, no gerar oceano de ternura ao branco da paz. Infinito olhar em sinfonia, enquanto o sol aquece sorrindo o horizonte e a lua se abraça ao luar.


Canteiro Pessoal

4 comentários:

TECHWARE BRASIL disse...

Oi Menina Priscila,

Estou com meu prazo de validade vencido. (risos) E junto, um tremendo torcicolo que não para de doer, desde sábado, não consigo nem me concentrar para escrever, mas, vim te trazer mais "carinhos". Espero que goste. Passa lá e pega todos, ou os que você quizer, ou nenhum, porém, que leve o maior te todos: Meu carinho, um pouco de mim em troca do enorme espaço que ocupa no meu coração.

Beijos

Roberto Ramos

O Profeta disse...

Ó chamateia que fala da saudade
Ó canção que pões um brilho nos olhos
Ó mulher que tens a forma da viola
Ó que espalhas paixões aos molhos

E o cantar da meia-noite
A todos encanta e seduz
Cantar até que morra a voz
Cantar até que haja luz


Vem tocar uma Viola de dois corações



Mágico beijo

angel disse...

Pri, minha querida!
Desculpe-me se te chamar assim, mas agora já fazes parte da minha vida e sinto-me como o Pequeno príncipe, responsável pelas coisas, melhor - pessoas- que cativo.
Muito lindas suas palavras aqui descrevendo sentimentos íntimos e muito ternas suas palavras no meu modesto blog.
Tens idade de ser minha filha, mas podes ser minha professora tal a maestria que escreves.
Sabe, sou professora também, aposentada, mas sempre professora.
Adivinha de que???
Matemática.
Matemática pode ser uma delícia, depende do quanto entendemos dela e a relacionamos com as coisas da nossa vida.
Tive alunos que agora, já crescidos, são amigos, filhos... Para mim sempre foi um prazer estar entre eles e somar nossas experiências. Dividimos muitas coisas, na verdade. Só o afeto é que multiplicou-se com o passar dos anos. E não diminuirá nunca!
Abraço forte
Angel

Natasha Dias disse...

Pricila,

Gostaria de agradecer sua visita em meu blog,agorei o que me escreveu, fique a vontade para voltar sempre que desjar!
Conhecer seu espaço foi um prazer,sucesso!

Tenha uma semana maravilhosa!