2009-06-21

é a fragrância... e...


Digo ao que vem sem demora. Lá, dos seus cabelos branco como a neve: vento que mandou chuva por dentro. Dou-te-me ! Leia a tua casa nos teus olhos, que um dia deu por vencida e pela finitude da viagem por aqui passageira !? Apressa-te ! A mortal almeja repousar-se nos diálogos aconchegantes e nada mal fundamentado. Ando bailando pela chuva que refresca e atual trabalhas para hoje do amanhã melhor pela manhã. Sei bem: o chover lá fora sim ! Mas tu és que dissestes que chover cá dentro pinta o dois em um ! E agora !? Cá tu tornou-se meu prato predileto. És o ator da peça no quarto de escuta a qual tanto amo e solto aquelas gargalhadas deliciosas estremecendo as ideias organizados no passageiro, também, o deixar por terra a compostura fincada no infundado. Cante-me: papéis cheios de vida letral que não foram apagados ! Dos códigos bem articulados no relacionar que salta ser vival de normas etiquetados como tolos e quadrados pra muitos. Ao papel do viver na tua face que nunca se retira da rua. Não há dúvida de todo o seu chamar e diz: - Tens sede pequena ? Nas curvas do teu corpo-pão, a mordida da inspiração e no: apetecer-me na decisão importante do caminhar juntos brilhante e metamorfal único. Não sobras de manhãs, tardes e noites - a fatia de uma laranja, mas toda, numa boca por pedir mais inteireza. Decidido assim ! - Lutar com palavras que não morrem ? Não ! É desviar o meu pensamento, duma presença sempre firme e segura. O teu estar sem pedir nada em troca. Seu nome que é: Prontidão ! Sim, perder-me com tua simpatia e ternura. A tua procura por mim que conforta. Teu ombro amigo que nunca se afasta. De olhar doce e outonal só pela cor quando me sorri. Fitar-me e diz o que preciso ouvir e não o que quero ouvir. Levanto-me do. Saio tão pequena e menina com tantos sonhos cá dentro do pulsante. Lambuzar da saudade e o coração do segurar com todas as forças, o aroma da beijada letral numa noite tão fria ficado aquecida. Uma forma beijal de dizer-nos: gosto tanto que me leias ! No nosso café diário, escrevo-te ! Não o arrefeço na mesa lado a lado, tudo por jamais me deixar marca por deixar, e sim, a vida que exige tempo da dedicação e o espaço dançante por palavras como nascente pairando no ar em todos os lados. A caixinha com mil pedaçinhos preciosos de vida atuada agradecida, mas nunca satisfeita - há mais por vir ! Lembrar-te-me do ouvir e de: entre sorrisos e lágrimas, inundar-me no encontro presente dos olhos esboçando o futuro.



Canteiro Pessoal

7 comentários:

pensar disse...

Lindo
Alguem que nos leia, talvez esse seja o maior desejo, o ombro e o beijo.
ler-te-me , adorei!

Vanessa B. disse...

Algo elevado há na mente, no sentimento da mente, mais profundo e mais acima ao mesmo tempo, e de repente, uma rajada de vento! Parece querer arrancar os cabelos, mas quer apenas mostrar que pode levantá-los: e de quebra, elevar a mente perdida no devaneio - para onde quer que o vento queira.

Lindo! Adoro tanta subjetividade, tanta beleza junta, em palavrinhas... Quando eu crescer quem sabe eu aprenda a fazer assim!
Bjs!

Lorenzo Tozzi disse...

isso é uma aula de metáfora, lírica e mesóclise.

você(s) é(são) muito talentosa(s) - não sei ainda quantas pessoas postam aqui.

vou adicionar esse blog aos meus para não deixar de dar uma olhada sempre. um beijo!

Canteiro Pessoal disse...

Lorenzo. Respondendo-te !

No Jardim Secreto I e II, apenas eu - Canteiro Pessoal [Priscila]. São meus blog's pessoais, particular. Só que a gulodice foi tamanha e criei 2 espaços, pois amo fundo preto e envelhecido. Já, Parceiros de Escrita e Autonomia do Olhar são amigos juntamente comigo.

Beijos mil

Priscila Cáliga

Thiago Ya'agob disse...

Pri, bom dia, querida!

'- Lutar com palavras que não morrem ? Não ! É desviar o meu pensamento, duma presença sempre firme e segura.'


Esse trecho que transcrevi falou por mim. Talvez não com o sentido que há em seu texto, mas no sentido que há dentro de mim.

Por mais que eu negue, há.

E isso é a causa do meu amadurecimento em todos as áreas. Sei que me entendes.

Uma ótima semana.
Obrigado por esses momentos de reflexão.

Miss. Marli disse...

Priscila, gosto da tua escrita, da forma como passas o que sentes, o que achas. Apesar, da subjetividade, entemos o sentido de significado do que escreves.

Parabéns!

Deus te abençoe ricamente e instrumentalize a tua vida para alcançar o público do teu blog e aqueles que tem oportunidade de ler as tuas escritas.

Tais Luso de Carvalho disse...

Hun...querida amiga, é sempre romântico chegar por aqui!

beijos e meu carinho
tais