2009-07-04


Como descrever o cheiro do nosso relacionar ? Seria desenhá-lo sobre olhos fechados e sem ruídos. E o marcar do sim da sua presença. A imagem sobre a imagem do infinito na estampa duma boca em sede de entrega. Numa mistura complexa de passado, presente e futuro esboçado no íntimo e num misto de cores e palavras sentidas pintando ingredientes secretos. Conto-te um segredo no que ouço suave em pensamentos. Cheiro-te a mim em ti. O nosso amar-te tem cheiro que pincela uma perspectiva diferente e perfuma todos os compartimentos. Seu passos em gotas de chuva batem na minha janela, como pequenos cristais sonoros. E pelo vidro tu começas discreto, suave e envolvente no jardim da visita que me dá. O meu âmago no pedaço de ti especial se esconde no canto do perfumar intenso, e por seguir-te até encontrá-lo gravado na minha memória de palavras tuas. Lá as letras vivas memorizadas no mais da intimidade com a qual é essencial para o meu atuar. Meu ar bom. As flores são flores que reverenciam a ti. E eu a tua flor gardenial com aroma de flores mil colhendo a tua essência. Teu cheiro aparece na minha porta com uma mala na mão e os olhos a brilhar para me ver e meu corpo a tremer mistura o teu presente do andar juntos. Seu caminho caminha pra mim numa chuva a continuar na dança. Canta a dança doce melodia da sua voz. Das pétalas românticas proporcionando momentos a sós no seu perfeito perfume suave e vestir duma roupa agradavelmente puro, ao sabor do espelho com o vento no rosto.


Canteiro Pessoal

3 comentários:

Canteiro Pessoal disse...

As palavras livres são operantes na reconstrução. E toda reconstrução dói em leitura e releitura.
Quantas vezes não quero ler-me, pois me causa desconforto e estou tão habituada com o tal conforto que alimenta minhas feridas. Mas cá estou no aprendizado e quanto mais cogito o parar da arte escrital, sempre baterá em minha porta as letras no pertubar agradavelmente para me amar do que jeito que preciso e não quero.
Como descrever o cheiro da escrita, esse relacionar em meu caminho ?

[...]

Inspiro e expiro. Aspiro. Transpiro. "Ser-me em pura, redundante essência".

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Estive passeando, assim como quem não quer nada, quando repentinamente avistei um belo espaço. Confesso que só o avistei, em função do perfume que senti das flores de um canteiro pessoal, existentes num "Jardim Secreto", contido no referido espaço. Invadi e gostei das pétalas românticas que proporcionam momentos a sós no seu perfeito perfume suave.

Belo texto, bastante consistente e bem coordenado. Parabéns!

Perdoe-me pelas baboseiras.

Beijos,

Furtado.

Canteiro Pessoal disse...

Furtado. Obrigada! Amei-te por aqui. E sobre as tais citadas por ti, letras pra mim nunca são baboseiras e, sim, um tijolinho a mais nesta minha reconstrução biográfica.

Beijos mil precioso e volte sempre, é uma honra recebê-lo.

Priscila Cáliga