2010-02-11

Ama tanto


O escrito está eu. E tu em mim. Não será misterioso hoje, quebrarei o estilo, pois o tom do mergulho será entendido para os que espreitam. É preciso. Vaza na minha pele teu nome. Os dias e as noites que deixas marcas de sol e lua na minha face e simplesmente, brisa suave por fazeres sentido e existindo palavras ditas e sentido no ciúme que tens por mim. E acabo em ciúme por ti. A chegada do teu fogo por mais que haja o relutar, faz o agora bater ininterruptamente na tecla do meu coração, o querer do sólido com versões com gosto de paladar do renovo. Escrito enamorado do encontro que há, e aprendo a morrer para viver nos teus olhos. Já te disse que amo teus olhos ? Sou enlouquecida pelo sorriso embutido em tua face. O meus lábios molhados admitem que agora é o que clamo sem cessar, o fácil e o difícil, mais belo e menos pesado. Teu toque que acalma, e os relógios retornam ao eixo da pulsação. Nas tuas pegadas desatar os nós pela manhã, numa viagem a um novo dia, completamente nu de mim. Não quero entender, apenas bailar no improvável-provável amor já à vista, em nado profundo na tua veia, que me arranca em suspiros. E aspiro, transpiro e me faz vazar notas gritantes aos quatro cantos do globo. Assim, sorrir e me embriagar com o cheiro da tua camisa, quando tudo dentro está morrendo em vida e ficar cada vez mais só, proclamando por dentro o casado perto de teu mundo particular que me envolve. Particular que cria desenhos nas minhas paredes de concreto por todos os lados, e vem no mental anular a ausência de ar. E quando descubro devaneios peculiares no encéfalo, lunática em um mundo de humanos, com a única esperança de todos os sonhos queimados um a um da morte à vida no teu céu que encontra meu solo com um beijo molhado e meu coração se revira dentro de mim por causa do calor. A esperança de felicidade que a cada dia anunciava doença e asfixiação, o processual de teu manto operar o desabrochar de uma nova fase. E meus dedos vão embrenhados em outrora de agora num tom que conjuga saudade, quando estou perto, sentindo o teu aroma. Pois o teu aroma é minha respiração. E a cama da inspiração por aquecer meu pulso. Do acariciar-me em poema e tatear o que despido cobri por completo, diretamente para o coração. À vontade salivada, faz o mexer das minhas pálpebras, pois a lâmpada acessa mantém o músculo no lençol. O irreal no penetrar o que em real anuncia monotonia, e no compor cenário provido de partituras em conquista e enamorar-te vagarozamente por todas as partes. A sala ser reflexo de marcas do amar em intensidade e ao mesmo tempo em suavidade. As pernas por ficarem bambas e que não exalam a névoa cinza, mas, abrilhantam no céu da tua boca. Ser-me com a queda de uma cachoeira na entrega em afago dos braços. Na coreografia o teu sabor que molha os meus lábios, fazer-me teu querer da abundância. O olfato na tua essência do prisma sobre esfera que me chama para o íntimo. E em escrita ser anúncio de vivacidade, em grito no interior da retina sussurrar: - Ama-me, me deixa amar-te ! Nisso, no cotidiano respirar [re] novo, e solicitar ar suave, delicioso vinho nos lábios em cada verso espiado e esperado por trilhar-te em olhos. O que espera e aquece, e os mares ficam próximos. Tudo que fica profundo, partilhando nas cores das tuas palavras que perpassam fechar os meus olhos para enxergar genuidade e arrebatamento no dedilhar. Já te disse que aprecio dedilhar em tua pele ? Na tentativa do sempre não largar teu alfabeto inimaginável, pois o sistema é perverso e quer me usurpar das tuas partituras, mas do mais grudado, tatuado. Os passos em corrida gazelial, no soneto retrato sobre tua tinta que teima repertório apaixonado e registro em fotografias. Do som da minha alma em melodia que rega estágio de dois em um tanto proferido em missivas.

Ele tem ciúmes por mim
(me) ama como um furacão, eu sou uma árvore
Dobrando-se sob o peso de seu vento de misericórdia
Quando de repente, eu estou desapercebida dessas aflições ofuscadas pela glória
Então eu percebo quão lindo és e quão grande são seus afetos por mim.
Ó, como Ele me ama
Ó, como Ele me ama
como Ele ama tanto.


. canteiro pessoal

6 comentários:

Barbara disse...

Sabe o que me fizestes imaginar?
Uma dama medieval em amores.
AMEI.

silvioafonso disse...

.

Eu pensava estar num Blog bonito,
cheio de novidades e com alguns
momentos de lucidez, mas me
enganei. Vejo que se trata de um
diário. Aquele livrinho que as
meninas levam consigo para onde
quer que vão e, no final do dia,
nele escrevem o que lhes aconteceu.
Eu queria me penitenciar por ter
sabido das suas intimidades e de
ter pensado o que falei, mas não
vou.
Vou, sim, comentar a arte e os
devaneios de uma pessoa de fibra
que acha e sabe o que quer. Que
caça, assa e come da maneira que
gosta. Com mãos de adulto e
jeitinho de menina.

silvioafonso.





.

Danilo Castro disse...

Óh, Eva incólume,

Revela-nos quem é o Adão merecedor de palavras enxarcadas desse belo desejo destruidor, deste enredo de palavras em fúria de busca, dessas rosas singelamente eróticas, quem é o Ômega deste Alfa exageradamente apaixonado que mora em seus escritos.

Canteiro Pessoal disse...

Danilo. A Eva é do Ômega que deita à sua cama, em concha-seu livro e diário. Escrevinha com o leve toque da sua respiração. E as imagens que descreve em minha pele são formadas pela sua seleta memória fotográfica. O que desafia a engenharia das filmadoras industrializadas. Está nos meus olhos, ave rara, está todo escrito, escrita que vai ocupando espaço. Bem, seria difícil exprimi-lo em letrativo, terias que ler meus olhos para conhecê-lo. Num compasso que a vida do que é meus dedos me dá e confesso, e nem quero as vezes tomar banho para não tirar o cheiro do que por mim é ciúme e que me anuncio em fome por estar nesses olhos.

Paz, abraços!

Vanessa Souza Moraes disse...

Escrito que borracha não apaga.

Muito bonito :)

monii disse...

Olá! Primeiramente quero dizer que não parei para ler com antenção o que você tem escrito aqui, mas voltarei com mais calma, com certeza, gostei muito do layout do blog, imagens, enfim! Passei agora para agradecer o comentário, e dizer que o título 'Liberdade de Expressão' ... está sendo mudado para 'Peace, Love, Book & Rock n' Roll' ... Espero que ainda se interesse por ele, porém continuo com um cujo título é 'Liberdade de Expressão' =) ... www.moniitorando.wordpress.com ! Caso lhe interesse! Beijos!