2010-03-20

Parabolar


Lá, despida ! Do mar, o gosto profundo da escuta e nada dizer. Das tantas missivas, como chuvinha vindo devagar, a morada. O sal da língua, sons, cores e sabores. O açúcar quando capta o repartir da essência que é sensibilidade. A língua bem falada que anda sobre o mar, e onda após onda, conquista implacavelmente, o inteiro. E lentamente, a luz do dia preenche o espaço. No dentro cresce a quietação sobressair à sombra que deslizava sobre os passos. A voz inicial no prelúdio da manhã, anunciando ao tempo que se acha sabido, que dobrarás ao toque que não se gasta. E a terra dos olhos, dirá melodias a marear o cantinho aconchegante que remove montanhas, por causa de um guardado em vazio e silêncio tão frio. Ao pão que ensina, não falta o sorriso no acordar. À noite, vastas argumentações como arranjas tal como se vestindo, mas com a boca que sorri no enredo, ágil como água, persuadindo no arrancar de cada peça. No juntar os cacos e os ais em conceitos refeitos. Assim, em doses suaves, o simples fato de respirar ser esplêndido de felicidade. E em pintura na retina, que quem morre para viver, embrenha-se na vestimenta de nova cor e dialoga com quem é hálito. Uma jornada fria é aquecimento, e a alma sai da inércia. Não se contenta no não ter, e tão longo esquecimento das primeiras notas. A voz, a pele corre veloz em olhos infinitos nos versos que escreve como ventre. Escrever, por exemplo: A noite está estrelada e o vento gira no céu e canta.

Quero que saibas uma coisa.
Tu já sabes o que é:
[...]
tudo me leva a ti,
como se tudo o que existe,
aromas, luz,
fossem pequenos barcos
que navegam para esta tua ilha
que me aguardam.


Neruda, Pablo


. canteiro pessoal

6 comentários:

O Espelho de Eva disse...

Suave, como o marulhar das ondas que se desfazem na areia. Forte, como as ondas que se lançam contra as pedra. Necessário, como o lamber das ondas no corpo lavando e levando mal.
Abraços. beijos.

Canteiro Pessoal disse...

Sheila, que saudades de suas complementações inteligentíssimas. Pois é, suave, forte e necessário são as mãos do que escrevinha na pele.

Abraços gardênia!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

Penso que a vida
sempre navega em direção a felicidade.
E quando esta felicidade
encontra suas melhores cores nos olhos de um amor,
então a vida se faz plenitude
em nós.

Que teu coração seja sempre casa de alegrias.

T@CITO/XANADU disse...

O mar severo, circunspecto.
Vestiu seu melhor terno azul-escuro
è um cavalheiro inatacável, puro,
impressionando a todos pelo aspecto.

O que existe além dele. Descobrimos
lugar definitivo para onde irmos,
A imortal liberdade enfim chegando...

Bjux
Tácito

Nadine Granad disse...

Há um selo p/ você em meu blog!...
Está com o link do site, esses novatos... rs!...

Abraços!=)

Canteiro Pessoal disse...

Nadine, obrigada!

Abraços gardênia.