2010-05-24

Versar


O ar lá de dentro, o que se chama em grito no abraço apertado. A verdade versante pelo arremessar do braço largo em redor do sol brilhante. Do regaço, suando só de ver passar bem proximal ao reduto, violando docilmente o segredo. A rotina fazendo suas malas no ir sem volta, em possíveis novidades à caminho. O ter em casa atenção de cada letrativo, e verga-se no olhar intenso suave. O mergulho na vastidão do universo musical, acariciando e ofertando descanso com certo luxo de alma em rendição. No imenso campo de se entender a roupagem de paisagens em voz tão macia. De desejo ardente, que até dói no ouvir, ver florescer numa manhã em existência delicada. Um ósculo fragrancial, à noite fresca debaixo da árvore alta dos sentidos. Dançar e rodopiar, porque estar em par se torna: livre ! E se há em pele uma certa flor fresca. Se sabe em silêncio, que se respira no meio da chuva abundante, o que então não se conhecia. As palavras de âmago na voz do vento em ecos nos ouvidos, e voos revendo medos guardados na pena do poeta. De quem não sabe escrever o quanto está a gotar sangue naquilo que o poetal sente. A ver beleza no escuro que se faz dia.

. canteiro pessoal
. imagem: Sr. do Vale

6 comentários:

Sr do Vale disse...

estar em par e se tornar livre, uma sensação e tanta, assim como os pássaros na tela, simplismente vôo.

Canteiro Pessoal disse...

Lu, a pouco [msn]: - Acho lindo o que tu diz, profundíssimo,mas posso apostar que pouquíssimas pessoas entendem. É preciso mais do que uma única inteligência para entender o que não se diz com palavras. A gente se entende porque eu consigo ver a sombra do que tu falas e sente, mas é só sombra tem gente que nem isso vê, porque dá trabalho pensar e mais ainda sentir.

Lu, realmente, ler-me e me re-ler. Obrigada baiana!

Sr do Vale disse...

rsrs

Por isso mesmo fico com as entrelinhas.


(com)versar...(com)verso

Canteiro Pessoal disse...

João. Vale. Ioanes Núllius, entrelinhas? Ah... entrelinhas degustativas. O versar leva seres a subir pra um lugar mais alto e...?

Na semente da vida de dentro acaricia o que não é dito.

O que mais a dizer-me no que não é dito?

Juan Moravagine Carneiro disse...

Belo mergulho...

abraço

Lara Amaral disse...

Aqui se vê beleza, pois as palavras versejam sem medo, alçam-se como que por mágica.

Beijos.