2010-06-17

Átomos nos oceanos


Está sangue e emoções, ecoa tudo em volta, não como um fraco e longínquo som. O olhar decifra e enamora cada partícula, e que de telescópio tudo claramente captura um quarto fechado em uma torre alta. O ir à busca da profundidade. A visão, ditos momentos fica embaçada, mas sabe que o ouvido em letras retorna no ajuste e tal mistério brilha para mostrar a arte do dentro. Enquanto se senta embaixo do neon cintilante por horas, quebra o código do freezer. E na composição da entrega pode sentir a gravidade chamando para casa, as estrelas coladinhas na fala a pertencer livre da pele superficial.


toma-me
e molda-me,
às vezes no carnaval
há intenções sinistras.
hoje em dia,
a intervenção me salva
e as revelações regulares
no ajudar a lutar,
à respiração.
é inegável,
sou fraca,
leva-me
e abraça-me.


. canteiro pessoal

6 comentários:

Sr do Vale disse...

Uau! Priscila,
quase dá pra senti-la ofegante.
Um texto que nos remete a imagens de desejos e liberdade.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Ande meio ausente por estar doente...mas agora estou voltando

beijos

Canteiro Pessoal disse...

Rafael. Ok! Cuide-se, e seja por aqui aquecido, pois tê-lo no jardim é uma honra.

Abraços ave rara!

Canteiro Pessoal disse...

Sr do Vale, como esse 'quase' não cabe ao peito. É fato, grito, que há desejos ardentes e enamorar parte por parte em demora, na eterna busca da tecla liberdade de expressão e ser-se em palco.

Valéria Sorohan disse...

Você que cujo dom é nos oferecer o sabor das palavras e das frases através de seus textos agora nos brinda com o puro gozo ao descrever tão sublime texto.
Ainda me refazendo… sem mais

BeijooO*

Canteiro Pessoal disse...

Valéria, sublime é sua captura e adentrar profundo na leitura, fazendo com que seja viva e rica.

Abraços.