2010-06-28

está


seis da tarde
encontrei no campo
a luz do olhar,
e pra que eu veja
o sol nascer,
enferma de amor
no borboletar
vou dormir aconchego
pra brilhar perto
ao ouvir os passos
que se faz amanhecer.
[Silêncio]
fundo
e me afundo
mais
profundo


. canteiro pessoal

10 comentários:

Canteiro Pessoal disse...

Simples assim!

Pâmela Grassi disse...

No canto do campo,
o reflexo do canto do sol


um beijo,

Sr do Vale disse...

suspiro.

Canteiro Pessoal disse...

Sr do Vale, suspiro e suspiro em grito tamanha intensidade desse 'está'. Como um sussurro, um derramar intenso molhando meus lábios, vestindo-me e desnudando o meu tecido em tecido desejável ao desejável doce.

Canteiro Pessoal disse...

Pâmela, por onde for- no canto do campo, o reflexo do canto do sol- onde se é forte em braços no acalmar, e no mundo girar como crianças sem medo, sem a estrela escapar das mãos.

Camilla Aloyá disse...

vim retribuir a visita no seu canteiro pessoal e dizer que também tenho o meu... rs... se chama Uma bela Rosa negra (http://camillapreta.blogspot.com/) e é nesse que escrevo com minhas próprias palavras singelas... aquele que tu entrou é um só de compilações... visite-me, aqui já serei seguidora para olhar de perto o que escreves, gostei muito do que vi, voltarei... beijos em seu coração, até mais.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Sinto falta do campo...

Sandra Botelho disse...

E ser flor ao amnhecer...
Dormir acordar e jamais fenecer...
Bjinhos achocolatados

Nadine Granad disse...

Ah [suspiro2]!!!!

Acostumada a ler-te em minúcias... linhas ma[i]s...
O "simples assim" tão rico quanto!...

Sensações lindamente descritas!...

Beijos =)

Desbururu disse...

Complementos


Da altura que a natureza sol
Me fez espetar em sua direção
Para a anti-gravidade
Para onde as nuvens reinam
E as estrelas se escondem
Onde busco com meu fulgor
Multiplicar cores e fragrâncias
Permeando estes caminhos
Onde passas esguia
Em teus trajes ricamente feitos
Da pura seda
Sou esta flor com que fitas
Com estes teus olhos sobejamente
Mais coloridos que este quintal
Onde pairas e observas
O tempo, a terra, a crisálida
E as marcas de tuas pegadas
No ir e vir aqui
E certa estou que
Te verei amanhã
Por favor
No mesmo horário
Deste inenarrável entardecer.