2010-06-20

maestro

... as palavras as que cantam, as que sobem e baixam. prosterno-me diante delas. amo-as, uno-me a elas, persigo-as, mordo-as, derreto-as. e então as revolvo, agito-as, bebo-as, sugo-as, trituro-as, adorno-as, liberto-as. deixo-as em meu poema como pedacinhos de pedra polida, como carvão, como restos de um naufrágio, presentes da onda.

Neruda, Pablo


Leva-me não deixa-me, peça-me para recriar no mais reinventar a profundidade dos teus olhos. Quando eu chegar tarde em casa, decifra-me, o seu cheiro promove com que meus poros exalem aconchego e as estrelas ousam sair à noite apesar do frio em grito. Toma-me em partituras, dança comigo, se estou acordada é para deslizar em teus livros que cantam e recantam o sonhar. Oscular os seus gostos como me envolve em carinho, e o mar de segredos se desvenda, pois se sou enigma tu és a decifração. E se calo é para admirá-lo, porque olho para o céu no teu silêncio conjugado em braços na respiração. Trago no meu olhar em linha cada batida do teu coração, que senti minha alma em cada nota. Então choro delícias e seu sangue que me conforta, e o canto no ouvido das tuas estrofes que me aprisiona em liberdade. No sabor do timbre de sua voz, desenho na areia o amanhecer que se aproxima nesta nossa melodia que valsa.

Sobre o céu
das margaridas ando.

Lee-Meddi, Jeocaz



. canteiro pessoal

8 comentários:

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Universo Íntimo. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Canteiro Pessoal disse...

Fabrício, a invasão exprimida nada cotada como invasão aos meus olhos, apenas uma oportunidade que recebo para enamorar tua narroterapia, que de antemão me avisa, alerta ser de excelência. Goethe fala a respeito de ousadia: 'a ousadia tem genialidade, poder e magia em si'. Portanto, a sua me faz oceanar como parada obrigatória ao teu espaço.

Seja bem vindo!

Abraços ave rara.

Valéria Sorohan disse...

Saber agradar alguem que se faz mostrar por inteiro em sua plenitude, não se supre saciar somente a carne, mas o sentimento que completa a alma, o carinho, o amor.

BeijooO'

Canteiro Pessoal disse...

Valéria, exatamente!

Brilhante mulher!

Mila disse...

Lindo seu grafar, muito por comentar, mas prefiro calar num ato de aplaudir seu talento.

Bjs minha linda!

Mila Lopes

Mila disse...

Ah, esqueci, rs
Tenho um novo espaço; "Doce Grafar"
http://docegrafar.blogspot.com/
faça-me uma visita se gostar pode ficar...rs
Bjs
Mila Lopes

Srtª Elis° disse...

Nossa moça que belo texto estou a fatigar minha alma com teus versos...aqui...



um xerooo!!!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Lindo texto

Linda Citação

Linda colagem

Belo escrito e bela colagem

Maestro é o nome do disco de uma das bandas que mais curto...

abraço