2010-09-24

Clorofila

Acreditarei na vertigem do disfarce que a brisa quente empresta ao meu rosto e, numa antiga roda gigante, renascerei com a inocência das crianças que sorriem poemas azuis.


Martini, Luciano



de mergulhar ante a porta do núncio da fotossíntese com escritura incessante à margem da comunhão. imagens pautadas no instante que alimentam as emoções por um quadro banhado com gotas de sangue, cuja força explode o coração. como pulmão surpreendente de um livro-poema bordado nos desdobramentos, amplexando a ponte da respiração que religa a plenitude da captura.


. canteiro pessoal
. imagem: Noslen ed azuos

4 comentários:

Noslen ed azuos disse...

...o inesperado de me sentir lisonjeado tamanha inspiração capturada por imagem e palavras diatónicas, composição de dançar nas sombras que a luz proporciona.

obrigado pela presença!
bjs ns

Canteiro Pessoal disse...

Azuos, se pode em primícia ante a porta da captura o tudo orgânico enlaçar, da luz em foz que vem no que se espera.

Abraços

Ives disse...

Nossa, lindo blog! rs abraços

Canteiro Pessoal disse...

Ives, obrigada e seja bem vindo!

Abraços