2010-11-14

mariposas na vidraça

Enquanto procuravam conceituar a poesia
E velavam sua face
Com palavras perfeitas,
Enquanto marcavam com sinais agudos
As fronteiras do domínio poético,
Enquanto a inteligência perseguia o mistério -
Veio descendo a tarde
E uma doçura mortal
Envolveu a rua e o mundo.
No céu quase roxo,
No céu incerto e delicado,
Asas escuras fugiam
Do noturno próximo
E subitamente, sinos
Soluçaram.


Schmidt, Augusto Frederico


No lençol a cantada percorre os labirintos da alma, o salão da visão do brinco de ouro e espelho na soma dos dias que se chove açúcar e paladar amargo. A manhã no despertar único e a imagem azul do impacto entre as bordas, tecidos agarrados nas lindas roseiras e se ora as voltas do coração refletindo asas. Nas ruas se ouve o encontro e as perdas e, o vento serenata o corpo do tão bem atrelado nas estações, as perfurações das adagas que faz frio, corre-se por agasalho. A veia da viola que cruza no abrir do selo; nome lido, encontra-se grafado em sangue - desejo ardente à casa. No peito o elemento próprio na foz da fratura do tempo, das escolhas errôneas a balançar cada galho. As pétalas no chorar lágrimas de orvalho e, pela varanda soprante a voz da chuva com o pincel a redesenhar estrelas. A folhagem e reflexo trêmulos, com o baile do espaço, de olhos fechados, que se anda ante o esplendor do riso e, o abraço procura e a figura viva não desfalece. O céu rasga-se num tema em que o deserto desbanda, os versos se compõem em torno dos rastros e lábios a frase do que anseia aceno de mar.


. canteiro pessoal

6 comentários:

Jorge Pimenta disse...

é a tua poesia que rasga o lençol e os corpos que o agasalham bem acima dos reencontros e das perdas. faz dos rostos apenas rostos porque é na pele bicelular que permanece ali, queda, imóvel, perecível, que a noite finalmente começa.
um beijinho, querida priscila!

Suzana Martins disse...

As suas palavras penetrantes, apaixonantes, rasgam almas deixando exposta a leveza dos versos e dos sentimentos...

Lindas, lindas, perfeitas palavras escritas que leio com alma e coração!!!!!!

Beijos querida!!!

A cada dia que passa eu fico ainda mais encantada com as suas palavras!!!

Bjs

Sr do Vale disse...

Eloquente.

Valéria Sorohan disse...

Coisa mais linda, Príscila. Emocionante. Parabéns e muitos beijooOs

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Quando as palavras
criam cores em nosso espírito
elas se fazem belas em nós.
Senti tuas palavras
(ao lado do grande poeta Augusto),
assim em meu coração.

Sua amizade é preciosa
para mim.

Moa disse...

Olá Priscila,

Gosto da forma como você mistura os elementos da natureza com os assuntos do coração nesse poema, formando um todo de sensações.

Bjs