2010-12-02

princípio à lábios

Do nascer até que o sol novamente submetido a viver em liberdade pela face em traçados variados, tudo no ninguém entenderia. A revelar e desrevelar os atos, formas e sintomas, mesmo que a mercê do travesseiro pernoite a temperança das enchentes para contemplação do rosto que enche de bravura. O orvalho puro dos ombros com estado corrente da ave onde a memória move e será em todas as fases de lua: raríssima ! A paixão nada extinta do fogo consumidor, e apregoa-se o que há mais para ser-se no Eu Sou o que Sou ? Do sorriso que se adentra em captura por gozar as sensações das infindas aprendizagens: desafios. E de caminho rente os espinhos das rosetas do que não é fácil, sobrepondo ao negro dos dias diante as ofertas negrulosas; riso de melodia do dentro para dentro que não hesita para oscular o céu estrelado. O sim dos olhos a pedido de construções na voz humilde com patamares da re-construção plena, e madurar de pele exalante. De mão direita existente defronte baús entreabertos às galáxias do céu da boca. A raiz profunda em braços finos, a segurar o violino para transbordar do vivido a foz que geme acorde e há vivacidade do contorno à face entre as folhas de literaturiar.

Canteiro Pessoal

Deixa cair, deixa rolar teu poema
como um fruto maduro, pelo chão.

Meyer, Augusto

7 comentários:

Déjà Vu disse...

Belo textro!
obrigado pela visita, espero que tenha gostado do meu blog e minhas escritas!
Estarei sempr por aqui tb!
quero vc mais vezes no meu blog sempre comentando ein!

Beijos

Majoli disse...

OLá Priscila, estou aos poucos visitando os participantes do amigo secreto do blog da Ester, e agora vim conhecer o teu.
A começar pelo dizer em cima da imagem, já gostei, pois sinto que quando estou em meu quarto, no silêncio da noite, minha alma se revela mais.
Quanto ao teu texto, muito lindo, mexe bastante com a gente.
Beijos de um delicioso final de semana.

Danilo Castro disse...

Como você está, jardim?

Canteiro Pessoal disse...

Déjà Vu, amei sua escrita e com certeza farei visitas ao teu cantinho.

----

Majoli, prazer recebê-la e belas palavras.

Canteiro Pessoal disse...

Danilo, Alfa, que tamanha saudade de encontrar-te no jardim, onde a força que há nas suas notas, constrangem-me e me conduz por uma viagem bela e irresistível. Digo-lhe que vou bem, e com o dever cumprido diante de tantos compromissos que caiu sobre meu palco este ano, retirado toneladas das costas, faculdade chegou ao término, agora só pegar o canudo; contando os dias, preparando-me para as férias tão desejadas.

Abraços precioso

Liza Leal disse...

Oi Priscila!
A recíproca é verdadeira.
Adorei teu jardim.

LIndo dia!

bj
.
LiZZa

Canteiro Pessoal disse...

Lizza, volte sempre, ao teu retornei para absorção do néctar.

Abraços querida