2011-01-05

Desnoite do mar


do precisar intenso que se dança ausência do preto e branco e se canta renovável amor na flor dos limoeiros. os olhos longínquos do presente olhar que se restaura o oásis existente, onde do livro maior a imagem transporta com mapa labial à porta. a vida, primaveril vida na escrita do espelho da alma com movimento no tempo que não conclama explicações. o dia que se inicia e por dentro da casa caminha meditando defronte às voltas ao longo das paredes. do jardim que se desabita e se acorda envolvente de linguagens em leito entre a pele de dentro e a pele externa na escolha do sul.

Canteiro Pessoal


o poema sou eu,
as minhas mãos nos teus cabelos,
o poema é o meu rosto, que não vejo,
e que existe porque me
olhas,
o poema é o teu rosto


Peixoto, Luís José

6 comentários:

Luciano Martini disse...

Onde tua andas Priscila? Que saudade. Estás escondida em teu jardim secreto. Feliz 2011.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Hoje a minha visita
é para agradecer.
Cada visita sua ao meu espaço
de sentimentos,
inspira alegrias em
minha vida,
e leva o que de melhor
existe em mim.

Sua amizade é preciosa
em minha vida,
e há de continuar a ser
neste novo ano
que está nascendo.

Maria Rita disse...

Estou encantada com a sensibilidade deste teu jardim...belíssimo!!!


Beijos pra Ti

Suzana Martins disse...

Nossa, que saudade estava das suas palavras, dos seus versos que encantam a alma!!

Seja bem vinda de volta, rs...!!

No despertar, no mar, as palavras saem como ondas em todas as direções. Palavras que despertam, que recomeçam... Palavras!!

Beijos, linda!!^^

Que bom que vc voltou...

Beijos

Canteiro Pessoal disse...

Luciano, no ficar isenta de mim para ver o que há por debaixo da minha pele, com o aconchego do escondido do jardim secreto.

Feliz Ano Novo, 2011 regado de grandes descobertas e realizações belo homem.

----

Aluisio, que graciosidade de sua parte, é sempre um prazer pousar no teu cantinho, mesmo que no decorrer, os dias corridos me limitaram, mas... obrigada pelas sempre gentis letras ofertadas que causam delícias.

Feliz 2011!

----

Maria Rita, seja bem vinda, retorne sempre que desejar, e colha o que as pétalas do jardim exalam, pinte-se em liberdade. E aprendamos assim, uma com a outra, a bela arte do comungar e renovar-se.

Abraços, feliz 2011!

----

Suzana, obrigada preciosa! Como é delicioso retornar à casa e dela se pintar em versões tão vivas e abrilhantadas. Neste plano tudo se tornar um elo, e nas descobertas fechar os olhos para a presença da absorção incomum.

Abraços e...

FELIZ 2011!

Jorge Pimenta disse...

adoro a escrita do josé luís peixoto. já leste "cal"?
beijos!