2011-03-17

[epicentro]

[...] o único jardim que se conhece
Onde floresce a vida.

Torga, Miguel



Ao som do verbo a quem chama canção no fundo do quarto, formosura e sabedoria com beber literário por debaixo da pele. Cada dizer dos passos cortinas brancas que flutuam, e por aulas de escrita, embriaguez das sensações. À beira mar abstrações tinturadas, contemplação da imensidão do desabrochar como sorriso redecorado. O mistério dos ciclos, ventanias inteiras as conexões, e no silêncio desprendido a voz do universo; transpor o limiar da porta. No doce cair da noite perto da janela, o que se questiona: indagações à sombra ? Apenas por nome aos céus, ode à paz - gotas de suor com genuínos prodígios. Desde a infância oriundos movimentos, a estrela maior que espalha vivacidade e se esconde cheio de graça: Ó benigna ! Rosa dentro de gardênias que se dialogam sobre as chamas das paredes em face, e dispersam a bandeira do fado à morte obscura.


Canteiro Pessoal

[Título: Paulo Diesel]

8 comentários:

Suzana Martins disse...

No epicentro das letras um furacão de palavras misturam-se num mar abstrato de sentimetnos em faces dispersas, remando a saudade do velejar a beira mar!

Beijos minha querida!!!^^

Paulo disse...

Derme, epiderme.Centro, epicentro. Ciclos se repetem e elos entrelaçam-se para confirmar.
Dúvidas trazem soluções e nas sombras o mistério se revela.

Secreta disse...

"...e no silêncio desprendido a voz do universo..."
Sublimes palavras.
Beijito.

Noslen ed azuos disse...

... ao ler se depreende o ser e a janela estava aberta e me perdi por ela nas linhas sem vírgulas e pontos soltas palavras ao vento

bjs
ns

wallper.lima disse...

Adorei Priscila, este teu texto se resume em - "vida"!!! - onde tudo é intenso, onde os sentimentos se afloram e nos contagiam, e a luta entre o que somos, o que temos, o que representamos...seria uma abertura a mtas discussões, e uma boa forma de expor aquilo que sentimos, e descobrir no outro, o que ele pensa.
Apareça.
Bjocas minhas.
Waleria Lima.

Pâmela Grassi disse...

Priscila,

Voltando da vivencia que me deixou sem internet por um certo tempo, cá estou na fluidez dos teus versos. O som dos versos me lembra de percursão,

hei, vi este blog e lembrei de vc!

http://alicedomardeamar.blogspot.com/

Beijos!

Canteiro Pessoal disse...

Pâmela, que belíssimo blog que me indicaste; e ser lembrada através, com certeza deixa-me sem palavras, pois é escrita excelente e entrelinhada - incomum.

Obrigada e estava com saudades de seus pousos.

Abraços

valdivino disse...

Minha querida vim lhe deixar um abração e desejar-lhe um ótimo fim de semana.

FELIZ DIA DO BLOGUEIRO.

beijos.