2011-07-23

ciclo

Eu não sei muita coisa, mas tenho a meu favor tudo o que eu não sei.

Lispector, Clarice




por trás das cortinas da alma
há espaços a conclamar adubo;
[parir de frente pro mar ?]
falas silenciosas
do que nem sempre se mostra,
está em concha para se coser em pele.

canteiro pessoal

5 comentários:

Paulo disse...

Nem todos entendem O entrelinhar dos escritos, mas ler as entrelinhas das falas silenciosas é quase impossível (não para todos).

Abraço, Pri

Lara Amaral disse...

Em concha se guarda para nascer, fazendo som de mar.

Bonito poema.

Beijo.

Canteiro Pessoal disse...

Paulo, verdade!

Canteiro Pessoal disse...

Lara, a mulher de palavras inspiradoras.

Suzana Martins disse...

Fecha-se em ostra sentimental...

Ah, saudades daqui!!

Beijos linda...