2011-07-01

tela colorida

[...]
e tocar-te e seres tu.

Ferreira, Vergílio





Agora está o amor que supera - nada se compara, nas camadas que pensavam sabidas por meus pés descalços. Fé no invisível ?! A tempestade que permite este caminhar intenso; encontrar-me desnuda agora e para sempre, com o rosto que procurava, e residência quando o cenário faz o céu bradar: tudo não é meu ! Dando-me vista para ver o que deseja o coração do amado da minh’alma. Os olhos e voz de trovão que me observa versos 1, 2, 3... até a consumação dos séculos guardados entre tuas mãos. Como fonte única das minhas cortinas abertas e gestos nas manhãs de notas declaradas, para brilhar mais que as estrelas; a tal beleza dos lábios que embriaga e sublima. E, dentro da restauração que atinge a base, quebrando a minha indiferença; alimento que faz o abstrato conjugar possibilidades no além do despertar que se enxerga.

Canteiro Pessoal

5 comentários:

Hugo de Macedo disse...

Excelente, este texto.

Valéria Sorohan disse...

Peculiaridade que faz a sua diferença. sou admiradora confessa.

BeijooO*

Secreta disse...

Muito bonito. O Amor faz das palavras magia.
Beijito.

OutrosEncantos disse...

saiba que é aqui que todos os encantos residem!
e que parto sempre fervendo e o peito a explodir de inquietação, como se ele fosse um livro que você abriu e leu!
magnifico texto. queria saber escrever assim!
beijo, Priscila.

dieselpaulo disse...

O sublime canto da cotovia emitindo sons que acalentam e penetram fundo no coração que filtra. O sangue. Esquenta.As palavras tocam. O entrelinhado dos versos chama e clama e alimenta e mostra e faz doer.
A distância e a ausência e a falta perturbam.
O livro de capa dura e preta registra a história
Nada cresce sem provações...