2011-12-15

A história está sendo feita

Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.

Platão

Eu não estaria aqui esta manhã se não fosse à tradução intensificada das suas notas. Se eu tivesse que escolher, agora, optaria por mais folhas e tempo para escrever-te. Visto que, a maior beleza consiste a encontrar-se na vida como um todo. A qual é pintado um vasto horizonte que está sempre em prontidão para a escolha do melhor e rejuvenescedor, pontuado com reticências. Posso relatar o que quiser ao globo, só que jamais a mentira perpetuaria na minha retina. Ela é sinal dos ditos profundos. Bem como, poderia acreditar no que os outros proferem, mas o meu traçado tem formas precisas e convictas que refresca a minha memória. E diz toda a oração feita. A história que não está tão distante assim. Cada escolha que faço é do que quero. Apenas me aperta em muitos os passos, o alimento podre, sistema que acabo embrenhada, e torno-me cega e fútil. Olho para trás e percebo que não deveria tê-los tomados. E ver o que eu preciso ver, lembra-me do dia importante. Este que sobrevoa: Tudo era lindo! Quando as nuvens anunciam o quanto estou enterrada em perguntas, é que caio na nota real das respostas. Tais que estão exatamente onde deixastes. Fecho meus olhos, ouço-me, e na parte mais difícil perdôo-me, e pratico a interna mudança. Até o vinho de excelência maior! E me lembro da linha tênue da minha existência: AMOR! Momento ao qual reconstruo a minha história. E as questões escuras viram presentes. Como estrelas na terra.

Canteiro Pessoal

3 comentários:

Suzana Martins disse...

Que lindo Pri!!

Como estava com saudades de ler as suas palavras por aqui... \o/

Poderia acreditar no que dizem por ai, mas nunca esquecerei que existo porque há amor entre todos os sentimentos.

beijos, lindona!!^^

Celso Mendes disse...

A história nunca para de ser construída. Os caminhos são muitos. Não há retornos, mas mudanças de rumo. E feliz dos que continuam perceber que as estrelas continuam a brilhar. Lembrei, agora, daquele poemeto do Quintana:

"Se as coisas são inatingíveis... ora! não é motivo para não querê-las. Que tristes os caminhos, se não fora a mágica presença das estrelas!"

Sempre bom te ler, Priscilla.

Beijo.

Canteiro Pessoal disse...

É Celso a história - a vida segue. Em diversas situações muitos a interrompe por 'n' motivos, aos quais muitos seres julgam, sem ao menos colocar-se no lugar dos desistentes. Há sim vários caminhos, mas apenas há um - 'o' caminho que nos cai bem. Tal que é luz constante. E como damos voz para esse nosso querer egoísta. Esquecemos que a boa parte está no lugar de sempre - é irrevogável.

Abraços precioso!