2012-07-08

sabe-se que naquele azul

A realidade antecede a voz que a procura, mas como a terra antecede a árvore, mas como o mundo antecede o homem, mas como o mar antecede a visão do mar, a vida antecede o amor, a matéria do corpo antecede o corpo, e por sua vez a linguagem um dia terá antecedido a posse do silêncio. 

Lispector, Clarice





abre-se a mente, é o salto livre!
- num só amplexo de cenário rubro,
dos braços de oceano,
com a profundidade de olhos atentos,
o que sai água e há um tom à mais,
explode-se a matéria em outra matéria
como quem liberta o precipício,
e o tempo repara a inexatidão exata.

canteiro pessoal

3 comentários:

Will Moa disse...

Se tem uma cor que bem poderia ser usada para pintar o infinito essa cor é o azul.
Azul é o mar.
Azul é o pássaro que se mostra aos apaixonados.
Azul é o limite dos céus.
Por isso, azul é uma das cores primárias capaz de colorir os sonhos...

Nilson Barcelli disse...

Muitas coisas aconteceram para chegarmos aqui, eu a escrever-te e tu a leres... e nós somos matéria, ainda que pensantes...
Gostei do teu salto nas palavras, como sempre.
Priscila, querida amiga, tem um bom domingo e uma boa semana.
Beijo.

Jorge Pimenta disse...

como será a metáfora da própria metáfora? jogo de imagens sobre as imagens abrindo galerias que se multiplicam noutras quase até ao infinito. e a matéria?...

beijinho em salto livre sobre oceanos de todas as possibilidades que só a semântica torna ironicamente (ainda que não contraditoriamente) reais.